VW Gol

O carro mais querido do Brasil agora na 8ª geração, modelo 2018

Destaques deste Modelo

O Gol chega para ser referência em termos de conforto e design interior, com um painel novo. Desenvolvido com base na premissa “driver oriented” (todos os botões e comandos estão posicionados voltados para o motorista), o novo painel dos modelos é muito mais moderno, com visual e acabamento premium e uma série de recursos tecnológicos, além de permitir uma série de combinações de cores e acabamentos. Agora, o console central do painel acolhe rádios “doble din” de última geração.

Externamente, o grande destaque fica por conta dos novos faróis. Com um visual totalmente alinhado com o que há de mais moderno, os novos conjuntos óticos contam com linhas mais lapidadas, com visual sextavado. A grade dianteira acompanha a proposta e tem visual mais dinâmico.

A traseira do Gol traz uma série de novidades. Na verdade, ela é toda nova. A tampa traseira tem estilo mais direto, retilíneo e moderno, com duas linhas que se conectam com o interior das lanternas. O vidro traseiro também tem novo formato. As lanternas são maiores em relação ao modelo anterior e passam a ter desenho tridimensional, com a assinatura noturna mundial da Volkswagen. Para acomodar as novas lanternas, foi desenvolvido um novo para-choque traseiro, com linhas bem definidas. Os novos retrorrefletores, alocados na parte inferior do veículo, têm destaque na parte de trás do hatch.

Versões disponíveis do Gol

A História do Gol no Brasil

O Gol surgiu a partir da necessidade de se criar um sucessor para o Fusca após a segunda metade dos anos 1970 para enfrentar outros veículos com projetos modernos como Fiat 147 e Chevrolet Chevette. Os veículos produzidos pela matriz europeia não atendiam as necessidades do mercado brasileiro devido às condições de estradas e hábitos dos consumidores, exigindo assim uma plataforma mais resistente. O departamento de engenharia da Volkswagen, localizada na Fábrica II, no bairro paulistano de Vila Carioca, passou a desenvolver o projeto desta plataforma com base no primeiro Polo, que fora, por sua vez, projetada na Alemanha, há alguns anos antes por Phillip Schmidt, que na ocasião, atuava na Volkswagen brasileira como diretor de Pesquisa e Desenvolvimento.

O projeto BX se deu início em maio de 1975, após Schmidt vencer a resistência da matriz alemã devido aos insucessos dos veículos brasileiros SP-2 e o TL, e retirou inspiração no cupê esportivo Scirocco, que por sua vez, fora baseado no Golf. O nome Gol veio da tendência em que a Volkswagen tinha de dar nomes aos veículos associados a esportes (Polo, Golf, Derby). Assim, este veículo adotou um nome baseado à paixão do brasileiro pelo futebol.

Conheça todas as gerações do VW Gol no Brasil

Em 1980, estreou com motor carburado de corpo simples e arrefecido a ar, herdado do Fusca, um 1300 apelidado de “Gol Chaleira ou Batedeira”, devido ao barulho característico proveniente do motor, com a opção da utilização de gasolina ou álcool como combustível. Era disponível em duas versões: Básica e L. O desempenho era muito fraco, o que minou as vendas do modelo no primeiro ano de vendas.

Em 1987 ocorre a primeira reestilização da primeira geração. O Gol ganha frente levemente mais baixa com capô redesenhado, novos faróis, grade, para choques envolventes, novas lanternas dianteiras e traseiras, essas agora com alojamentos para 6 lâmpadas em cada lado, embora o Gol GTS (e futuramente o GTi) viesse com 5 lâmpadas em cada lado e as demais versões com apenas 3 lâmpadas em cada lado.

Em 1991 ocorre a segunda reestilização da primeira geração. A grade dianteira, os faróis e as lanternas dianteiras (agora com refletivo lateral âmbar em cada uma) ficam mais estreitos, para atender também ao padrão norte-americano, já que o modelo derivado do Gol,[2] o Voyage, ainda era exportado para lá com o nome Fox.

A segunda geração, conhecido como Projeto AB9 e apelidado como “Gol Bolinha”, trazia uma carroceria totalmente nova, moderna que apresentou linhas mais arredondadas em relação à versão anterior, assim ganhando do público o apelido de “Gol Bola” no Brasil. Apesar da Volkswagen apresentar um projeto de carroceria novo, a plataforma era a mesma adotada em sua primeira geração, ajudando a manter soluções praticamente idênticas no que diz respeito a suspensão, motorização e freios.

Chamado de “Gol G3”, o Gol sofreu profundas mudanças estéticas, a primeira reestilização do Gol AB9 recebeu o nome comercial de Geração III onde recebeu uma nova plataforma, e começou a ser vendido em 1999 como modelo 2000. Mudanças visuais foram feitas em sua dianteira, traseira e interior, além de um novo jogo de rodas e calotas. No mais, a estrutura básica do veículo continuou a mesma, continuando a ser um Gol Geração II.

Foi lançado nas versões duas e quatro portas e foi abolida as nomenclaturas como CL, GL, etc, e optou-se pelo lançamento de pacotes de opcionais (Básico, Luxo, Conforto e Estilo) encontrados em qualquer motorização. Logo, seria possível encontrar um modelo 1.0 8V mais equipado do que uma versão 1.8, por exemplo.

Chamado comercialmente de “Geração 4”, o Gol (ainda da segunda geração) sofre novas alterações: novas dianteira e traseiras, novo painel (seguindo a tendência dos automóveis “de entrada” da marca), com leve empobrecimento no acabamento interno, devido à presença do Polo no mercado, e suspensão mais elevada. Disponíveis nas versões City, Plus e Power. Em setembro e outubro de 2006 o seu principal concorrente Fiat Palio passou em números de vendas, contudo o Gol fechou o ano como o carro mais vendido do país. Em agosto de 2007, novamente o Palio volta a passar o VW Gol. A Volkswagen continua a deixar a desejar no quesito acabamento e conforto mesmo com as alterações na nova linha do Gol “G4” / 2008, onde o carro teve pequenas mudanças na suspensão e no motor passando de 71cv a 75cv. Desde seu lançamento a estabilidade de sua suspensão é muito elogiada. Em 2010, surge a versão Ecomotion, com motor 1.0, para ser o carro de entrada. O Gol “G4” continuou sendo produzido como versão de entrada do modelo, até ano de 2014,[3] apenas com motor 1.0.

O Novo Gol foi lançado no dia 29 de junho de 2008, que corresponde a verdadeira terceira geração. O modelo do Novo Gol teve suas características externas e internas renovadas, e por isso é conhecido como a 5ª geração do Gol, totalmente renovada em relação a 4ª, inclusive em relação à plataforma, que passou a ser a mesma de Polo e Fox, essa lançada em 2002 no Polo. Porém, a montadora não adota a nomenclatura G5 ou qualquer aproximação para este veículo e sim, Novo Gol.

Em 2012, o Gol G5.B recebeu nova frente, especificando os faróis, iguais ao do Volkswagen Fox, Volkswagen Jetta etc. A marca optou por não chamar essa reestilização de G6, mas apenas “Novo Gol”, embora alguns concessionários insistam em usar o apelido “G6” como estratégia de marketing, que por enquanto não emplacou, devido ao fato de a nova “geração” não passar de um facelift. Esse novo modelo, lançado em 2012 como modelo 2013, tem os motores 1.0 VHT “TEC” e 1.6 EA111 (podendo receber câmbio I-motion) sendo ambos Flex, com injeção eletrônica e câmbio manual com 5 marchas. A versão Power (1.6) possui um motor de 104 cv, torque de 15,6 Kgfm.

Back to top